quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Celebremos Jesus em nosso Lar!

"Não deixe este momento tirar a tua paz, o texto que você está lendo foi colocado no site da nossa igreja, e gostaria de compartilhar com vocês."


Billy Graham, responde uma pergunta da Srª E.K.

Pergunta: O Natal está quase aí, e já me sinto oprimida por causa da vinda de toda a família. Nós damo-nos muito bem, mas a simples preparação é tão exigente que eu sei que ficarei exausta mesmo antes de lá chegar. Como é que posso manter o espírito de Natal com tanto trabalho para fazer? – Srª E.K.

Resposta: Sim, o Natal pode ser um período desgastante, e penso que muitos leitores podem identificar-se consigo. Mas Deus não quer que fiquemos tão desgastados com a quadra do Natal, pois podemos perder de vista o seu verdadeiro propósito: celebrar o nascimento do nosso Senhor Jesus Cristo.

Como é que pode evitar ficar oprimida? Primeiro, dê o seu melhor para planear as coisas. Por exemplo, faça uma lista de tudo o que tem de fazer, e decida quando o irá fazer. Não deixe tudo para o último minuto – e não sinta que tem de ser perfeita. Além disso, partilhe a carga; se alguns da sua família puderem ajudá-la depois de chegarem, deixe-os fazê-lo.
Mas permita-me que também a exorte a reservar algum tempo tranquilo diariamente – talvez tempo para uma breve soneca, mas tempo especialmente para ler a Palavra de Deus e reflectir sobre o significado do Natal. Ore, também, para que o seu lar seja um exemplo da paz de Cristo e uma alegria para todos os que o visitarem este Natal. Reclame, como sua, a promessa de Deus aos antigos israelitas: “… Irá a Minha presença contigo para te fazer descansar” (Êxodo 33:14).
Nesta quadra do ano, penso muitas vezes em Maria e José, e nos problemas que eles enfrentaram naquele primeiro Natal: pobres, entre estranhos, sem um lugar para ficar. Eles, também, devem ter-se sentido oprimidos! Porém sabiam que Deus estava com eles, e isso fez toda a diferença. Ele também estará consigo.

Desejo a todas as minhas queridas irmãs, um natal de muita alegria e que a paz de Cristo seja em cada lar. No momento de tensão.....mostre Jesus em sua vida e brilhe em meio a escuridão. Faça a diferença.

Um carinhoso abraço de:
Leonilda, Maria Lucia e toda equipe do Círculo de Oração.

Festa do Círculo de oração novembro de 2010!



Nestes dias, vidas foram transformada pelo poder de Deus! Toda honra e Glória seja ao nosso Deus!!!

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Desafiadas!

Nem sempre acontece da maneira que queremos, o texto abaixo relata de como enfrentarmos sem deixar nos abater e seguir em frente.
Desafiadas a continuar...

“Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus,daqueles que são chamados segundo o seu propósito.” (Romanos 8:28)

Quando somos desafiadas a fazer alguma coisa que exigirá muito de nós, geralmente nosso primeiro pensamento é: - Será que eu consigo? São raras as que aceitam o desafio facilmente sem “pestanejar”. Muitas vezes ficamos presas a situações que aconteceram conosco no passado, todos os fracassos e decepções nos vêm à mente como que a nos dizer quão inadequadas somos. Muitas vezes, estas lembranças se tornam nossas cadeias, quando na verdade deveriam ser nossas molas propulsoras.

Ao ser desafiada por Deus a tornar-me uma mulher segundo Provérbios 31, rica, próspera, valorosa, ousadamente corajosa, forte, guerreira poderosa, pareceu-me um desafio tão distante da minha realidade, tão difícil de ser alcançado, tão… tão… Assim resolvi deixar meus pensamentos de lado e fui ler e ouvir algumas mensagens inspiradoras, e por “coincidência” tudo que lia apontava para o mesmo caminho. Que caminho? Ora, que Deus, quando nos chama, também nos capacita.

Uma das mensagens que eu assisti foi com a Joyce Meyer, “Sua vida começa hoje”, onde ela fala de como Deus transformou a vida de vários homens e mulheres. Do assassino Moisés, transformou-o num líder que guiou o povo de Deus para fora do Egito; de Davi, um adúltero e assassino, no homem segundo o coração de Deus; de Raabe, uma prostituta que ajudou a esconder os espias, tornou-a uma das tataravós de Jesus; de Pedro, um grosseiro estúpido, num pregador ungido e servo de Deus valoroso; e muitos outros que encontramos em toda a história do povo de Deus.

O que essas pessoas fizeram foi não se deixar prender pelos erros do passado e ficar chorando sobre suas próprias misérias. Elas deixaram tudo aos pés do Senhor, que pode transformar o nosso fracasso em vitória, o nosso choro em alegria. Nessa mesma mensagem, a Joyce fala uma coisa que Deus disse a ela: -Joyce, você pode ser poderosa ou chorosa, mas, não pode ser as duas coisas. Eu gostei disso, nós não vamos chegar a lugar nenhum se ficarmos com nosso olhos fixos em nossos fracassos e decepções, temos que entregar isso a Deus e deixar que ele use todas as situações difíceis, para abençoar outros e para nosso crescimento.

Por isso da próxima vez que você for chamada para fazer alguma coisa não fique olhando o que passou e temendo o futuro. Entregue para Deus, peça a Ele que te encha de amor, poder, sabedoria e siga em frente. Deixe que Deus encha sua vida e transborde na vida dos que estão ao seu redor.

Queridas irmãs não desanime!

Obrigada, e um carinhoso abraço.

Orando com os irmãos!




Orar junto com os irmãos é uma parte importante da vida da igreja, junto com a adoração, sã doutrina, comunhão e fraternidade. A igreja primitiva se encontrava regularmente para aprender a doutrina dos apóstolos, partir o pão e orar juntos (Atos 2:42), começando imediatamente após a ressurreição de Jesus (Atos 1:14) e continuando até os dias de hoje. Quando oramos juntamente com outros crentes, os efeitos podem ser muito positivos. Orar junto com os irmãos nos edifica e une ao compartilharmos nossa fé comum. O mesmo Espírito Santo que habita em cada crente faz com que nossos corações se regozijem ao ouvirmos os louvores a nosso Senhor e Salvador, nos unindo em um laço único de comunhão que não encontramos em nenhum outro lugar da vida.
Para aqueles que se encontram sozinhos e lutando com os fardos da vida, ouvir os irmãos elevá-los ao trono da graça pode ser de grande encorajamento. Também nos edifica em amor e consideração pelos outros quando por eles intercedemos. Orar junto com os irmãos também ensina aos novos na fé como orar e os leva à íntima comunhão com o corpo de Cristo. Ao mesmo tempo, orar junto com os irmãos será apenas um reflexo dos corações dos participantes. Devemos ir a Deus com humildade (Tiago 4:10), verdade (Salmos 145:18) e obediência (I João 3:21-22), com ação de graças (Filipenses 4:6) e confiança (Hebreus 4:16). Infelizmente, a oração junto com os irmãos pode também se tornar uma plataforma para aqueles cujas palavras são direcionadas não a Deus, mas aos ouvintes. Jesus advertiu contra tal comportamento em Mateus 6:5-8, onde nos exorta para que não sejamos exibicionistas, usando palavras em excesso ou hipócritas em nossas orações, mas quer que oremos secretamente em nossos próprios quartos a fim de que evitemos tais tentações.
Não há nada nas Escrituras que sugira que a oração junto com os irmãos seja “mais poderosa” do que as orações individuais, no sentido de mover a mão de Deus. Muitos cristãos igualam a oração a “receber coisas de Deus”, e a oração em grupo se torna principalmente uma ocasião para recitar uma lista com nossos desejos. As orações bíblicas, entretanto, têm múltiplas faces, englobando a totalidade do desejo de entrar em consciente e íntima comunhão com nosso santo, perfeito e justo Deus. Deus, ao inclinar Seus ouvidos para escutar Suas criaturas, provoca o louvor e adoração jorrando em abundância (Salmos 27:4; 63:1-8), produz arrependimento e confissão sinceros (Salmos 51; Lucas 18:9-14), gera uma torrente de gratidão e ações de graças (Filipenses 4:6; Colossenses 1:12) e cria sinceras petições de intercessão em favor de outros (II Tessalonicenses 1:11; 2:16).
As petições para aquele que ora não se encontram nas orações de Paulo ou Jesus, exceto quando nelas expressam seus desejos, mas sempre em submissão à vontade de Deus (Mateus 26:39; II Coríntios 12:7-9). A oração, então, é cooperar com Deus para que se cumpra Seu plano, não tentando fazê-Lo se inclinar a nossa vontade. Conforme abandonamos nossos próprios desejos em submissão àquele que sabe nossas circunstâncias muito melhor do que um dia poderíamos saber, e que “sabe o que vos é necessário, antes de vós lho pedirdes” (Mateus 6:8), nossas orações chegam a seu mais alto nível. As orações oferecidas em submissão à vontade Divina, por isto, são sempre respondidas positivamente, se oferecidas por uma pessoa ou por mil. Aqui está o verdadeiro poder da oração.
A idéia de que a oração junto com os irmãos é mais eficaz em mover a mão de Deus vem muito de uma má interpretação de Mateus 18:19-20: “Também vos digo que, se dois de vós concordarem na terra acerca de qualquer coisa que pedirem, isso lhes será feito por meu Pai, que está nos céus. Porque, onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.” Estes versos vêm de uma passagem maior na qual se indica os procedimentos a seguir se a igreja disciplinar um membro em pecado. Interpretá-los como prometer aos crentes um cheque em branco para qualquer coisa que concordem em pedir a Deus, não importando quão pecaminosa ou tola seja, não apenas falha em se encaixar ao contexto da disciplina eclesiástica, mas nega o restante das Escrituras, em particular a soberania de Deus e os muitos mandamentos para que os crentes sejam submissos e obedientes a Sua vontade, e não o contrário disto.
Além do mais, crer que quando “dois ou três estiverem reunidos” para orar provocará algum tipo de poder mágico se juntando às nossas orações é algo tolo. Claro que Jesus está presente quando dois ou três oram, mas Ele está igualmente presente quando um crente ora sozinho, mesmo se esta pessoa estiver separada de outros por milhares de quilômetros. A interpretação errônea destes versos nos mostra por que é importante ler e compreender as passagens em seu contexto e à luz de toda a Escritura.

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

ORAR, CONFIAR E DEIXAR DEUS AGIR


É FATO QUE na vida nós passamos por tribulações severas. Na maioria das vezes conseguimos juntar os pedaços da alma, e voltar ao caminho. Em alguns momentos, conflitos bem difíceis e graves se sucedem que até parece que um Tsunami chegou, e não vemos nenhuma saída. São nesses momentos o inimigo quer nos enfraquecer e ele tenta, de todas as maneiras, nos fazer crer que as coisas jamais mudarão, e que Deus não está atento às nossas orações. Parece até que as mais densas trevas nos envolvem, e nós ansiamos por uma luz que brilhe em meio à escuridão.

A boa notícia é que o nosso Deus é um Deus de encorajamento, e Ele quer que O busquemos ao primeiro sinal de aflição, a fim de encontramos nEle, em tempo oportuno, a força necessária para enfrentarmos e vencermos as provações da vida.

Ele é a nossa única fonte de esperança e em Sua Palavra encontramos as Suas promessas de livramento. O Pai deseja que confiemos tanto em Seu amor por nós, a ponto de não nos deixarmos enganar pelas mentiras do diabo. Ele já provou o seu amor por nós, pelo fato de Cristo ter morrido por nós (cf. Romanos 5:8).

Cada vez que nós nos voltamos para Deus em oração, em louvor e em adoração, Ele abre canais que fazem fluir em nossa alma a paz, a sabedoria, a força e o encorajamento.

Ele é a luz que brilha em meio à escuridão! Só Ele pode nos prover graça, paz e esperança para enfrentarmos os dias maus. Assim, quando a escuridão vier, mantenhamo-nos firmes em oração, e seguros nAquele para quem trevas e luz são a mesma coisa (cf. Salmo 139:12).

Diante das circunstâncias sombrias, busque mais a Deus, e domine suas emoções. Ele deseja relacionar-se conosco, e isso acontece por meio da oração. Ore!

Quando dobramos nossos joelhos e oramos com lágrimas, o céu se move a nosso favor; Deus se manifesta poderosamente. Quando nós nos dispomos a orar com fé e persistência, o sobrenatural de Deus acontece e não podemos dimensionar o que Ele quer e pode fazer em nossas vidas, em nossa família, em nossa igreja.

Ele é o Deus que cura, e que provê, e que protege, e que liberta e que salva. Ele é o Deus-Todo- Poderoso e, portanto, maior que qualquer problema que possamos enfrentar, afinal, para Deus não há impossível.

Não importa a intensidade a escuridão que se abateu sobre nossa vida. A Bíblia diz no livro de Jó 11. 17-18, o seguinte: “E a tua vida mais clara se levantará do que o meio-dia; ainda que haja trevas, será como a manhã. E terás confiança, porque haverá esperança”.

Portanto, mesmo quando tudo nos pareça sem solução, nossa parte é confiar e deixar Deus agir. Nossa responsabilidade é orar.

Deus está procurando intercessoras, reparadoras de brechas, guerreiras de oração, para que Ele possa manifestar todo o Seu poder e toda a sua glória sobre nossas famílias, a igreja, e a vida de cada uma de nós, capacitando-nos para que realizemos o propósito que Ele tem para nossas vidas.

Sejam todas bem-vindas, em Cristo.

LEONILDA MARTINSON SANTOS

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Orando para conhecer a Deus

Nos últimos tempos temos tratado a oração como uma simples forma de falar com Deus, como um ato onde me apresento na frente de Deus, falo tudo o que preciso e após isso vou embora. Se acredita que o centro da oração é quem ora e suas necessidades e nos dedicamos a pensar em nós mesmo durante todo este momento.

Porem nos exemplos bíblicos vemos que a oração é muito diferente. Os modelos de oração que temos em toda a Bíblia, e que são abundantes, descobrimos que a oração tem como centro a Deus mesmo e sua majestade. Todas nossas necessidades e clamores são expostos a Ele desde a perspectiva dEle e não de nossa necessidade.

Consideremos o que Paulo diz a Igreja em Filipo: Regozijai-vos sempre no Senhor; outra vez digo, regozijai- vos. Seja a vossa moderação conhecida de todos os homens. Perto está o Senhor. Não andeis ansiosos por coisa alguma; antes em tudo sejam os vossos pedidos conhecidos diante de Deus pela oração e súplica com ações de graças (Filipenses 4:4-6)

Desde nossa perspectiva não faz muito sentido “pedir e suplicar com ação de graças”, porem quando entendemos que desde a perspectiva podemos ver nossas necessidades, problemas, aflições, dificuldades então podemos sim clamar e suplicar com ação de graça, declarando que sobre tudo nosso Deus é Deus, Senhor, Salvador, Soberado, Todopodero, e que sua vontade não será impedida e seu domínio é para sempre (Dan 4:34-35).

Na oração nós alinhamos nossa perspectiva na perspectiva de Deus, subordinamos nossa vontade na vontade de Deus, declaramos o Senhorio de nosso Jesus sobre todos nossos assuntos. Na oração é onde aprendemos a abrir nossos olhos espirituais para poder enxergar ao Pai trabalhando e assim saber o que Ele está fazendo e nos somar a seu trabalho. Jesus deu exemplo disto em suas declarações ao longo dos evangelhos, especialmente João.

Devemos louvar, adorar, nos entregar a Deus em nossas orações. Apresentar-nos na presença do Senhor e esperar, meditar, escutar sua voz, ver o seu rosto e conhecer a Deus mais ainda.

Temos os Salmos de Davi, os louvores de Paulo, Pedro, Judas, Moises e muitos outros, que nos orientam em como poder orar, adorando e louvando. Quando o foco em nossas orações é Deus mesmo nunca podemos ficar sem palavras, motivos ou assuntos para tratar com Ele, porque Ele é infinito e eterno e essa perspectiva nós devemos procurar.

Tiago em sua carta (Tiago 4:3) fala que oramos e não recebemos, porque pedimos mal, concentrado em nossos desejos, vontade, propósitos e instintos (ver o contexto do texto). Ele mesmo afirma que o Espírito nós anseia, deseja, quer que tenhamos uma comunhão intima com Ele, com Cristo, com Deus em Cristo. Paulo afirma que não sabemos o que pedir para Deus, como louvar ou como orar, porem o mesmo Santo Espírito da adoção clama em nossos corações, nos capacitando, nos edificando e nos conduzindo a Cristo quando decidimos orar, procurar um relacionamento de conhecimento com nosso Deus.

Devemos orar em todo lugar e em todo momento. Todo lugar é apropriado para procurar a Deus. Neemias orou na presença do rei quando precisou da sabedoria de Deus para sua resposta. Jesus orou na frente das multidões, orou na frente de seus discípulos e também orou na intimidade com seu Pai. Ele ensinou que é necessário nós afastar no particular para procurar a Deus e que essa procurar especial tem resposta especial (Mateus 6:6).

Jesus, com todo seu tempo concentrado em seu trabalho, nos resgatar do pecado para nos reconciliar com Deus, em sua condição de “ultimo Adão”, homem perfeito, dedicou longos tempos de oração no monte, no secreto na intimidade com Deus, nos deixando exemplo. Em João 17 vemos uma de suas orações, onde Ele pedia, clamava e suplicava, colocando a Deus no centro da oração, glorificando o nome de Deus e dando a devida honra para Ele. Esta deve ser nossa forma de orar. Nosso desejo.

Amados, clamemos em nossos corações, para que o Espírito Santo nos guie em nossa jornada a poder ser pessoas de oração, para poder através dela poder conhecer a nosso Deus, ver sua face e assim contemplar a sua formosura.

Com amor em Cristo,
Marcos A. Badra

domingo, 7 de novembro de 2010

O Deus que transforma!

O nosso Deus é o Deus das transformações! Ele é especialista na arte de transformar as coisas. Em toda a narrativa bíblica podemos acompanhar e ver Deus agindo e transformando. De Gênesis ao Apocalipse, Deus trabalha constantemente na transformação de pessoas, de situações, do tempo, de lugares, tudo para cumprir um propósito. Veja algumas transformações que só Ele pode fazer: Deus transforma a terra sem forma e vazia numa terra habitável e aprazível! (Gn1.1-2)

Ele transforma a maldição em benção (Dt 23.5). Transforma deserto em manancial de águas (Is 41.18). Ele transforma nossos montes em caminhos (Is 49.11). Transforma a cidade habitável em deserto (Is 5.6). Transforma a honra de alguns em vergonha (Os 4.7). Transforma nossos inimigos em amigos (Pv 16.7). Transforma a água em vinho (Jo 2.7). Ele também transformará o nosso corpo corruptível num corpo incorruptível (1Co 15.53) e no final de tudo, Ele transformará esta velha terra e este velho céu em nova terra e novo céu! (Ap 21.1) Aleluia!

Deus transforma tudo! Ele pode transformar as nossas impossibilidades, nossas intransponibilidades e nossas indisponibilidades em oportunidades, em caminhos, em meios para que possamos subir para mais perto dEle, para finalmente alcançarmos as regiões celestiais. (Ef 1.3) O diabo está redondamente enganado quando pensa que os ataques, as investidas, as pressões, as depressões que ele ou quem quer que seja lancem sobre nós poderão nos privar dos cuidados amorosos de Deus (Rm 8.39) Todas essas coisas nas mãos de Deus que tudo transforma, são como escadas que nos erguem mais e mais e nos fazem mais próximas do constante amparo divino. Portanto, por que ficar intimidada com os ataques do inimigo? Por que recuar diante dos montes que se levantam diante de nós? Nós servimos ao Deus que tudo transforma. Ele transforma nosso fracasso em vitória, nossa impossibilidade em oportunidade, nossas lágrimas em riso.

Ele pode transformar nosso marido, nossos filhos, nossa família, nosso patrão, nossa cidade, nosso país, nossa igreja. Nas mãos dEle tudo pode ser transformado. Mas há uma coisa que o Senhor nos pede, que é a transformação pela renovação da nossa mente (Rm 12.1-2) Cada uma de nós deve trabalhar nessa transformação. É nossa responsabilidade diária trabalhar com empenho para que toda a nossa cosmovisão seja transformada a partir de um pensar renovado.

E depois de sermos transformadas na nossa maneira de ver e conceber o mundo, então o Senhor poderá nos usar como agentes transformadoras neste mundo deformado e conformado no pecado. Se entregue nas mãos do Deus que tudo transforma e aguarde as transformações que Ele fará, transformando-a numa nova mulher!

Marilu Ribeiro

Festa do Círculo de Oração

Estou postando para todas vocês o convite para nossa grande festa. Vocês podem enviar via email para suas amigas e amigos ou imprimir e entregar pessoalmente.

Participe desta festa acompanhado dos seus amigos.


segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Dependência de Deus!

Os dias andam agitados, parece que um turbilhão de coisas se multiplica ao nosso redor e você se sente levado pelas águas. Você quer firmar o pé, para poder decidir para que lado nadar, mas simplesmente não consegue. As coisas seguem seu rumo. E você levado por elas.

Meus dias têm sido assim. Muitas decisões e escolhas, e às vezes a sensação terrível de incerteza, será que foi a melhor decisão? Será que orei o suficiente? Esse sentimento me abate com uma freqüência assustadora, afinal, as decisões têm sido mais freqüentes. E por vezes atingem pessoas ao meu redor.

Chegamos de São José do Rio Preto, estou cansada. Mas um testemunho despertou minha mente e meu coração. Parei e vim escrever.

Uma amiga de minha família, lá de Rio Preto, passou por muitas dificuldades, a separação, a criação das filhas, e hoje, essa jovem senhora trabalha para se sustentar por meio de pequenos serviços.

Um dia, necessitando comprar alguns mantimentos e itens de higiene pessoal, juntou o que tinha guardado e foi ao supermercado. Chegando lá, fez as contas do que podia e precisava levar e o dinheiro não deu.

Faltou exatamente o necessário para pagar um sabonete. E ela foi embora, sem o sabonete tão necessário.

Durante o percurso de volta ela orou ao Senhor, crendo que Ele a supriria de alguma maneira, para poder comprar o sabonete.

E seguiu seu caminho. Bem no meio dele, uma moto apressada passou e um pacote pequeno caiu ao seu lado. Ela pegou e ficou esperando. Esperou a moto retornar para poder devolver.

Mas a moto não voltou. O tempo passou e nada. Então ela orou, perguntando a Deus como ela devia proceder. E o Espírito testificou em seu coração que o pacote era para ela.

Ela abriu o pacote. Você já desconfia o que tinha dentro?

Um sabonete…

Decidimos muitas coisas diariamente. Muitas vezes nossas orações são curtas, objetivas, às vezes até demais, e podemos incorrer no erro de pensar que, por ser algo tão simples ou insignificante aos olhos dos outros, será também indigno da atenção do nosso Deus.

Mas eis a surpresa: Não é!

Ele se importa. E a nossa dependência DELE é algo tão precioso aos Seus olhos que a nossa mínima fé, nEle que é tão grande e poderoso, o Único, gera uma ação em nosso favor.

Isso é o que nossa dependência DELE gera: misericórdia, graça, benevolência, socorro, ânimo, alegria, paz, provisão, um sabonete.

I Pedro 5:7 diz: “lançando sobre ELE toda a vossa ansiedade, porque Ele tem cuidado de vós”.

Encerre esse dia e comece os demais com essa certeza: Ele cuida de você! Ele cuida de mim!

Obrigada Senhor!

Durmam bem!
Carolina Ribeiro

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

AMOR.EXE!

Alô!

É do Setor de Atendimento ao Cliente?

Atendente: Boa tarde Senhora, em que lhe posso ser útil ?

Cliente: Comprei o seu programa AMOR, mas até agora não consegui instalar. Eu não sou técnica no assunto, mas acho que posso instalar com a sua ajuda. O que eu devo fazer primeiro?

Atendente: O primeiro passo é abrir o seu CORAÇÃO. A senhora encontrou seu CORAÇÃO?
Cliente: Sim, encontrei. Mas há diversos programas funcionando agora. Há algum problema em instalar o AMOR enquanto outros programas estão funcionando?

Atendente: Que programas estão funcionando, senhora?

Cliente: Deixe-me ver... Eu tenho BAIXA ESTIMA.EXE, RESSENTIMENTO.COM, ÓDIO.EXE e RANCOR.EXE, funcionando agora.

Atendente: Nenhum problema. O AMOR apagará automaticamente o RANCOR.EXE de seu sistema operacional atual. Pode ficar em sua memória permanente, mas não vai causar problemas por muito tempo para outros programas. O AMOR vai reescrever BAIXA ESTIMA.EXE em uma versão melhor, chamada AUTO ESTIMA.EXE.Entretanto, a senhora tem que desligar completamente o ÓDIO.EXE e RESSENTIMENTO.COM. Esses programas impedem que o AMOR seja instalado corretamente. A senhora pode desligá-los?

Cliente: Eu não sei como desligá-los. Você pode me dizer como?

Atendente: Com prazer! Vá ao Menu e clique em PERDÃO.EXE. Faça isso quantas vezes forem necessárias, até o ÓDIO.EXE e RESSENTIMENTO.COM serem apagados completamente.

Cliente: O.k.! Terminei! O AMOR começou a instalar-se automaticamente. Isso é normal?

Atendente: Sim, é normal. A senhora deverá receber uma mensagem dizendo que reinstalará a Vida de seu coração.
A senhora tem essa mensagem?

Cliente: Sim, eu tenho. Está completamente instalado?

Atendente: Sim. Mas lembre-se: a senhora só tem o programa de modelo básico. Precisa começar a se conectar com outros CORAÇÕES a fim de obter melhoramentos.

Cliente: Oh! Meu Deus! Eu já tenho uma mensagem de erro. Que devo fazer?

Atendente: O que diz a mensagem?

Cliente: Diz: "ERRO 412 - O PROGRAMA NÃO FUNCIONA EM COMPONENTES INTERNOS". O que isso significa?

Atendente: Não se preocupe, senhora. Este é um problema comum. Significa que o programa do AMOR está ajustado para funcionar em CORAÇÕES externos, mas ainda não está funcionando em seu CORAÇÃO. É umadaquelas complicadas coisas de programação, mas em termos não-técnicos, significa que a senhora tem que "AMAR" sua própria máquina antes que possa amar outra.

Cliente: Então, o que devo fazer?

Atendente: A senhora pode achar o diretório chamado "... AUTOACEITAÇÃO?... "

Cliente: Sim, encontrei.

Atendente: Excelente! A senhora está ficando ótima nisso!

Cliente: Obrigada!

Atendente: De nada. Faça o seguinte: clique nos arquivos BONDADE.DOC, AUTOESTIMA.TXT, PERDÃO.DOC, VALORIZE- SE.TXT, e copie-os para o diretório "MEU CORAÇÃO". O sistema irá reescrever todos os arquivos em conflito e começará a consertar a programação defeituosa. Também a senhora precisa apagar AUTOCRÍTICA.EXE de todos os diretórios e depois esvazie a sua lixeira para certificar-se de que nunca voltem.

Cliente: Consegui! Meu CORAÇÃO está cheio de arquivos realmente puros. Eu tenho no meu monitor, agora, o SORRISO.MPG e está mostrando que PAZ.EXE, CONTENTAMENTO.COM e BONDADE.COM foram instalados automaticamente no meu CORAÇÃO.

Atendente: Então, terminamos! O AMOR está instalado e funcionando, Ah! Mais uma coisa antes de eu ir.

Cliente: Sim!..

Atendente: O AMOR é um programa gratuito. Faça o possível para distribuí-lo.

Cliente: Obrigada por sua ajuda.

Autor Desconhecido)

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Dúvida e Fé!



A dúvida enxerga os obstáculos, a fé enxerga o caminho!
A dúvida vê escura a noite, a fé vê o dia!
A dúvida teme dar um passo, a fé sobe ao alto!
A dúvida pergunta: "Quem crê?"
A fé responde: "Eu creio!'

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Veja para que lado você inclina!



Inclinar é muito mais que desviar da linha reta. No sentido menos geométrico, significa ter ou demonstrar propensão, significa ceder, mostrar-se favorável. É nesse sentido que Josué, pouco antes de morrer, dirige-se ao povo de Israel: “Inclinai o coração ao Senhor”. (Js 24.23) O mesmo apelo faz o profeta Isaías em nome de Deus: “Inclinai os ouvidos e vinde a mim: ouvi e vossa alma viverá”. (Is 55.3) Essa reclamação de Deus é tão importante que o salmista pede o auxílio do alto: “Inclina-me o coração aos teus testemunhos e não à cobiça”. (Sl 119.36) Você precisa aprender a pender para as coisas de Deus. Todos os dias. Em todas as circunstâncias, em todas as tentações, em todo o tempo. Pode ser um movimento pequeno, mas tremendamente positivo, pois vale como uma decisão, um assentimento, uma declaração visível de entrega total a Deus. Os resultados surgem na hora porque, quanto mais perto de Deus, mais atração Ele exerce sobre você. Depois da primeira inclinação, tudo fica mais fácil. É sempre um momento histórico, de grande repercussão. Marca o início de um grande processo que derruba hábitos e compromissos pecaminosos e cria outras normas e costumes superiores. O ato de inclinar-se para o lado onde Deus está tem de ser repetitivo. É um cuidado que você precisa ter a vida inteira. Porque o outro lado, o lado oposto existe. Veja só esse texto de Paulo: “Os que inclinam para a carne, cogitam das coisas da carne: mas os que se inclinam para o Espírito, das coisas do Espírito”. (Rm 8.5) Demonstrar propensão para a carne é um desastre, pois a inclinação para o lado da carne é morte, por ser rebelião contra a lei de Deus. Mostrar-se favorável ao Espírito é uma bênção, pois a inclinação para o lado do Espírito é vida e paz! (Rm 8.6-7)

(Revista Ultimato)

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Oremos pelo Brasil!



Editores: Flauzilino Araújo dos Santos e Francisco Guedes Maia.

São Paulo, 14 de Outubro de 2010 Vinculado aos sites:

www.telepaz.com.br e www.assembleia.org.br E-mail para contato: contato@telepaz.com.br Ezequiel 22:30 - E busquei dentre eles um homem que estivesse tapando o muro, e estivesse na brecha perante mim por esta terra, para que eu não a destruísse; porém a ninguém achei.


JOELHOS DOBRADOS E OLHOS ABERTOS

Amados,

O Brasil está passando por um momento de profundas transformações na área política, com mudanças tanto no Poder Legislativo (Congresso Nacional) como no Poder Executivo (Presidência da República e Ministérios), e que terá reflexos em todas as demais atividades de nossa nação.

As discussões acerca de assuntos que dizem respeito à valorização da vida e da liberdade de expressão religiosa, máxime temas relacionados ao aborto e ao casamento entre pessoas do mesmo sexo (casamento gay), urgem e nós como Igreja temos o dever de orar para que os princípios cristãos e bíblicos sejam mantidos em nosso país, bem como condenar e anular tudo quanto se levante contra o conhecimento de Deus, levando cativo todo entendimento à obediência de Cristo (cf. 2 Coríntios 10:5).

É sabido que temos duas cidadanias: a celestial e a terrenal. Como cidadãos do país chamado Brasil, nos orgulham nossa origem, nossos valores e nossa história, e somos convocados a escolher dirigentes que julgarmos serem os de melhor perfil e que tenham programas de governo benéficos para a sociedade, e que sejam não incompatíveis com os valores cristãos. Por outro ângulo, como cidadãos da Pátria Celestial, somos convocados a orar pelo processo eleitoral e pelos Poderes e forças vivas da nação.

A orientação bíblica e a postura cristã é a de interceder junto ao Pai de Nosso Senhor Jesus Cristo para que o presidente eleito seja temente a Deus e aceite discutir tanto as questões sociais como as religiosas e que valorizam a vida e a liberdade cúltica e litúrgica. Oremos para que Deus dê sabedoria ao Poder Legislativo para criarem leis mais justas e intercedamos pelo chefe do Executivo para que com temor de Deus, dirija o futuro de nosso povo.

Portanto, votemos com a consciência limpa, e oremos para que haja paz para nossa geração e a de nossos filhos, para que haja igualdade, transparência, ética, emprego, habitação, educação e erradicação da pobreza miserável. Intercedamos para que tenhamos continuidade na expansão do Reino e possamos opinar aberta e democraticamente sobre nossa crença e defesa da fé.

Provérbios 29:2 “Quando o justo governa o povo se alegra, mas, quando o ímpio domina, o povo geme.”

Portanto, estejamos de joelhos dobrados e olhos abertos, ou seja, orando e vigiando em todo o tempo.

Oremos pelo Brasil!

A Deus seja toda a glória!

FLAUZILINO ARAÚJO DOS SANTOS - (flauzilino@assembleia.org.br) FRANCISCO GUEDES MAIA - (guedes@assembleia.org)


segunda-feira, 18 de outubro de 2010

sábado, 16 de outubro de 2010

Vida Abundante!


Vida Abundante: Realidade ou Utopia?

Texto Base: João 10:10

O que é vida abundante na nossa concepção?

Vida abundante é associada à saúde psicológica, à prosperidade material, à libertação do sofrimento, entre outras coisas.

Que triste pensar que nisso se resume a vida conquistada por Cristo por nós lá na cruz, limitar o poder do nosso Deus a circunstancias favoráveis é dizer que Ele é Deus apenas nas horas boas, e quando as situações difíceis sobrevêm temos dificuldade em aceitar, crer que Ele está conosco, que a Sua vontade está sendo feita e até chegamos a associar as lutas a algum pecado cometido.

Ou então, quando as coisas não acontecem como planejamos, não colhemos o que achamos que plantamos, temos a tendência de associar o momento difícil à falta de abundância prometida por Cristo no texto lido.

A vida abundante não se limita às circunstâncias à nossa volta, ela está relacionada com a vida que vivemos, independentes das circunstâncias que nos rodeiam.

A vida abundante é uma vida livre do poder do pecado, cheia do poder do Espírito Santo, que se concentra em agradar a Deus e descansar no seu amor, simplesmente porque Ele é Deus.

É essa vida que busca a santidade, ou seja, humildade de espírito, tristeza pelo pecado, fome e sede de justiça, que irá produzir em nós a bênção da vida abundante, uma vida equilibrada sob a autoridade de Deus. Ele é o centro da vida abundante, não somos nós.

É a busca por honrá-lo com nossas vidas que nos traz vida abundante, não buscar nossa felicidade. Ele é a razão, não somos nós.

Essa é a verdade que sustenta a vida abundante:

Deus é o Ser Absoluto e Soberano sobre o Universo e sobre toda realidade espiritual, em outras palavras, o Autor da Vida é maior do que qualquer circunstância, nada limita seu agir.

Nossa felicidade verdadeira vem de depositarmos NELE nossos olhos, esperanças, desejos, sonhos, expectativas, tristezas, medos e frustrações também.

E a certeza de que, mesmo sendo o único Ser auto-suficiente como está escrito em Êxodo 3:14 e ser totalmente sustentador das nossas vidas (Atos 17:28), Ele se importa conosco ao ponto de ter entregado Jesus por nós (João 3:16), e ter interesse contínuo em nossas vidas, independentes das circunstâncias que enfrentamos (Salmos 33:13 e 15), isso gera em nós uma vida equilibrada uma vida constante, segura, ou seja, uma vida de qualidade.

Quando Paulo diz a Timóteo: “Deus não tem nos dados espírito de covardia, mas de poder, amor e moderação.” em 2 Timóteo 1:7, podemos crer que ele fala da vida conquistada por Cristo para nós:

§ Covardia: espírito temeroso diante das adversidades, descontrole emocional diante das lutas, não estamos dizendo que não devemos chorar, ou clamar a Deus diante das provas e tribulações, mas que elas não têm poder de nos afastar da segurança, consolo e livramentos concedidos pelo Senhor Jesus, afinal, muitas vezes não vai nos tirar da adversidade, mas vai guiar-nos através dela. (Salmos 37:7; Isaías 43:2; Romanos 5:3-5; Tiago 1:2-4).

§ PoPoder: Deus disse a Paulo que o poder DELE se aperfeiçoa na nossa fraqueza, em meio às lutas, quando pensamos que não vamos suportar, a força de Deus nos ergue, e conseguimos passar pelo deserto, afinal, com Deus ele se torna um lugar seguro. (2 Coríntios 12:9 e 10; I Samuel 23:14).

§ AmAmor: a vida abundante gera em nós uma demonstração genuína do amor de Deus pelo próximo, afinal, nós amamos porque Ele nos amou primeiro (I João 4:19).

§ M Moderação: nossa mente é saudável, nosso espírito é fortalecido, nossa busca em conhecer cada vez mais nosso Deus por meio de sua palavra traz sabedoria para a vida diária, passamos a viver de modo digno do evangelho.

Essa vida, que prevalece a despeito de qualquer circunstância pela qual passe, essa é a vida conquistada por Cristo para nós.

É a vida que diante das impossibilidades, desfruta de uma paz sobrenatural, algo humanamente impossível.

Você já se perguntou o porquê de tantas “pancadas” simultâneas, sem folga?

Deus nos atrai para Si, na total dependência Dele somos moldados, fortalecidos e cheios do Seu Espírito. E nessa intimidade de Senhor e servo, Pai e filho, sabemos, temos a certeza e a tranqüilidade de que tudo está nas mãos do Deus que tudo pode.

Que possamos nos apossar da verdade: “Tu conservarás em paz aquele cuja mente está firme em TI”, Isaías 26:13, assim esperar por Ele com paciência e desfrutar da vida abundante conquistada por Cristo pra nós.

Deus nos abençoe!

Carolina Ribeiro

terça-feira, 12 de outubro de 2010



A Bíblia, principalmente os salmos, está repleta de belas orações, onde o homem buscava o Senhor e onde ainda hoje O procuramos!Quando o salmista orava expondo sua angústia interior, levando a Ele suas súplicas, abrindo seu coração, sempre recebia a resposta da misericórdia e cuidados de Deus! Foi assim no salmo 4, por exemplo. Confortado, aliviado, sai do íntimo do salmista as palavras: “Em paz me deito e pego no sono, porque Senhor, só Tu me fazes repousar seguro.” Quando sentimos angústias, quando as perseguições nos afligem e entristecem, procuramos refúgio invocando o nome dAquele que tudo pode e encontramos alívio para a nossa alma. Lendo a Palavra de Deus somos alimentados espiritualmente. Orando podemos nos achegar ao trono de graça e misericórdia para sermos fortalecidos e um elo se forma entre a criatura e o Criador! Foi orando por seus amigos inoportunos que Jó viu mudada a sua triste situação de penúria e enfermidade e viu transformado o seu cativeiro. Alguém disse: “A oração é a alavanca da alma!” E é verdade! A oração nos aproxima de Deus! “Perto está o Senhor de todos que O invocam em verdade.” (Sl 145.18) Saint-Exupéry, o escritor aviador escreveu: ”Tudo é duro quando se perde o gosto de Deus!” Sim, deve haver um “gosto de Deus”, por sua presença. Mas, paradoxalmente nós só o sentimos quando o perdemos, quando não buscamos mais refúgio em Sua Palavra e conforto na oração! Então a alma se angústia, o coração pesa e a consciência pouco a pouco se embota. Foi o gosto de Deus que foi perdido e tudo passa a ser incertezas! Quando estamos em comunhão com Deus através da oração, esquecemos o que nos rodeia e sentimos o elo sagrado que nos une a Ele! A Bíblia exorta: “Tudo o que tem fôlego louve ao Senhor!” Pode parecer lirismo, mas eu vejo oração de louvor no canto mavioso dos pássaros, na dança do canavial que se ondula ao sabor do vento, no farfalhar das folhas como a bater palmas para Aquele que as criou! Sinto oração nos acordes dos instrumentos, nos dias ensolarados, na noite totalmente caiada de branco pela luz do luar! Quando ouço os acordes de um violino ou de uma harpa dedilhada como que por anjos, então me transporto até ao trono, porque a oração é louvor, é comunhão, é adoração, é busca! É a ponte que nos leva até Deus!




sexta-feira, 8 de outubro de 2010

A verdadeira maturidade espiritual!




O papel da mulher como ajudadora do seu marido na vida espiritual é mostrado no ensino do apóstolo Pedro às esposas em sua primeira carta. Ele se dirige a todas as esposas, embora focalize primeiro a mulher casada com um homem não crente. A esposa vai ajudar seu marido sem falar nada! E sabe por quê? Porque nossas ações falam mais alto do que qualquer coisa que possamos dizer. Pedro está dizendo que não é para ficarmos cutucando nossos maridos com o que o pastor falou no sermão de domingo, com o que o professor da escola dominical ensinou, com o que lemos naquele livro maravilhoso sobre a vida cristã dentro do lar. Devemos, isto sim, viver uma vida de tanta intimidade com Deus que transpareça em nós algo que nossos maridos desejarão ter também: aquele espírito manso e tranqüilo que têm as mulheres que esperam no Senhor, que dependem primeiro Dele! Quando levamos primeiro ao Senhor todas as nossas frustrações, as nossas decepções e amarguras de espírito, o marido que não nos ama como gostaríamos, que não assume suas responsabilidades como achamos que deveria fazer, a filha que está permitindo muita intimidade no seu namoro, o filho retraído que não quer mais saber da igreja nem de Deus, e tantas coisas que fazem parte da vida da maioria de nós, e as deixamos a Seus pés, nosso coração fica cheio da paz que só Ele pode dar. Mesmo no meio das circunstâncias mais tristes e assustadoras, refletimos essa paz nos nossos rostos, na nossa postura, no nosso comportamento. A mulher cujo espírito é manso e tranqüilo não envelhece mesmo quando vierem as rugas e os cabelos brancos, pois sua beleza cresce com o avançar da idade, tornando-se cada vez mais irresistível. O marido dessa esposa se apaixonará cada vez mais por ela, e pode até ser que se apaixone por ela de verdade pela primeira vez. E, segundo o apóstolo Pedro, a beleza da esposa ajudará o marido a enxergar mais claramente o poder de Deus e a desejar buscá-lo para si também

sábado, 2 de outubro de 2010

Simplesmente Mulher!


Ela é a mãe perfeita A esposa modelo A mulher dona de casa A maior cozinheira A filha mais prestativa A trabalhadora mais eficiente A amiga mais util. Mas, será que essa existe de fato? Acredito que não. modelo A mulher dona de casa A maior cozinheira A filha mais prestativa A trabalhadora mais eficiente A amiga mais útil. Mas quem é ela? A mulher..... Este poema de Natasha Josefowitz está no livro "A Síndrome da Supermulher´", de Marjorie H. Shaevitz. Se você ler Provérbios 31, também vai pensar na supermulher, assim como pensou a autora do poema acima.. Somos simplesmente mulher. Com nossa humanidade, limitações, defeitos, temperamentos, mas com virtudes, alvos, vontade de crescer, capacidade de assumir responsabilidades etc. Umas, de mais fácil convivência, outras, mais complicadas; mas todas, simplesmente mulher. Deus nos fez assim. Gosto de pensar que a mulher conheceu a Deus antes de ser apresentada ao homem. Foi Deus quem fez o papel de apresentador para os novos conhecidos. Isso significa que a nossa relação com o Criador é direta. Não há intermediários. É possível que, enquanto Adão ainda estivesse dormindo e Deus tivesse completado sua obra, criando a mulher, eles tenham conversado um bom tempo, antes das devidas apresentações. Já pensou na oportunidade única de Eva conversar com o Criador sozinha, sem interrupções, sem depender de ninguém e ser ouvida? Ela recebeu todas as instruções, mas, infelizmente, não levou tudo a sério. Hoje, da mesma forma, nós, mulheres do terceiro milênio (e todas do século passado...) temos a mesma chance do bate-papo com o Criador. Temos também as instruções de procedimento de vida, que estão em sua Palavra. É só segui-las. Mas, conhecer as instruções não basta. É preciso assumir o compromisso de sermos mulheres segundo o coração de Deus e de fazermos diferença na sociedade em que vivemos. Para isso, é bom voltar os olhos para o texto de Romanos 12.2: "E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus". O que é renovar a mente? Vejamos o versículo ao inverso: a vontade de Deus é sempre boa, perfeita e agradável, e você há de convir comigo que isso não se discute. No entanto, ela só acontece sob essa ótica quando a nossa mente é renovada - o que nos dá condições de transformar o meio em que vivemos, em vez de tomar a sua forma e agir exatamente como ele. Primeiro, a mulher cristã renova a sua mente quando derruba mitos. Mito da mulher, mãe, profissional, cristã ou esposa perfeita. Não existe essa figura, embora reconheçamos mentalmente essa verdade e nos portemos como se assim fôssemos. Há mulheres que não admitem errar. Seus filhos são os melhores, seu marido também. Em sua profissão ninguém se destaca mais do que ela, e assim por diante. Quando percebem que não podem ser perfeitas em todos os setores da vida, entram em pânico, se frustram e desanimam. Há expectativa e cobrança sobre a mulher cristã e, quando esta não é suprida, vem o julgamento. Porém, quando a mente é renovada, isto é, a mulher dá espaço interno para a ação de Deus por seu Espírito, ela passa a ter condições de reconhecer seu potencial e sua limitação, harmonizando essa tensão interna. Segundo, renova-se a mente entendendo a realidade de hoje. A expressão "no meu tempo...", muito usada por pais e odiada por adolescentes, não tem lugar em nossos dias. O mundo de hoje é outro. Você abriria mão de um forno microondas para voltar ao forno à lenha? Se sim, como? Morando em apartamentos cada vez menores? Ou em casas sem quintal? O grande perigo desta leitura da realidade é de se conformar (tomar a forma), em vez de transformar (ir além da forma). A mulher cristã tem adotado um comportamento cada vez mais semelhante ao da não cristã, ao ponto de não haver diferença. Onde está o seu compromisso com Deus de ser sal e luz nesta sociedade cada vez mais secularizada? Terceiro, a mulher cristã renova a sua mente buscando a fonte da vida - Deus. Nada melhor do que beber água direto de uma fonte limpa. Água pura, sem química, simplesmente água. Se é Deus quem nos fez, Ele sabe como funcionamos e nos respeita como mulheres. Quando buscamos a Deus para que a nossa mente não fique petrificada com conceitos e comportamentos que não condizem com o padrão divino, a vitória é certa. Não se feche à ação de Deus. Ele sabe o que é melhor para nós e como nos tratar. Deus deseja ser acessível a cada uma de nós, mulheres, de modo que também sejamos acessíveis aos outros. Carregada em seus braços, caminhe certa de que Ele continuamente renovará a sua mente, de forma que o seu compromisso se torne cada vez mais evidente pela bênção que você será para o próximo, sendo... simplesmente mulher!
(Nancy Dusilek)


"É preciso assumir o compromisso de sermos mulheres segundo o coração de Deus e de fazermos diferença na sociedade em que vivemos."

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Grandes coisas o Senhor tem para você!

Palavras são como flores!











Não importa o tamanho ou cor, todas falam.

Palavras gentis, edificam e elevam,

Elas se transformam em flores para perfumar vidas.

Palavras são como as flores!Quando faladas a esmo e jogadas ao vento,
São como os espinhos que se escondem entre pétalas.
Podem machucar, magoar, destruir e manchar vidas.

Palavras podem ser como as flores!
Singelas na forma, porém, cheias de significado.
Existem para servir e servem para embelezar.
Então, que eu emudeça, antes que eu fira pessoas.

Senhor,

Dá-me a fragrância das flores,
Para o ódio banir e os inimigos amar.
Dá-me o vivo frescor das flores,
Para desfazer o cenho e o sorriso aflorar.

Que as palavras sejam para curar.
Que as flores sejam para encantar.
Que a amabilidade seja para alegrar,
A existência humana pelo Fruto do Espírito.

Jael Eneas

O padrão estético de Deus para a mulher!



Toda mulher quer ser bela. Não fosse assim, nós mulheres não gastaríamos uma fortuna com produtos de beleza todos os anos, fazendo prosperar uma indústria que vai dos cosméticos às dietas de todos os tipos, às academias de ginástica e estética, às clínicas de cirurgia plástica. O apreço pela beleza é inato em todas nós. Fomos criadas à imagem do Deus que é o Artista supremo, cuja obra revela, em quadros esplendorosos da natureza, quanto a beleza agrada a Deus. Assim, é natural e bom apreciarmos a beleza, e os esforços dedicados a aperfeiçoar nossa aparência refletem em parte nossa cooperação com a obra magnífica do nosso Criador. Entretanto, corremos o risco de nos deixar escravizar por padrões alheios ao propósito de Deus para Suas filhas. Os padrões de beleza que a cultura tenta impor vão do ridículo ao triste e mudam periodicamente ao longo dos anos. Você, mulher de hoje, se sujeitaria aos espartilhos e anquinhas que nossas bisavós usaram, ou aos pés enfaixados das chinesas, ou às perucas enormes, empoadas e piolhentas das francesas? É claro que não! Entretanto, a magreza exagerada e os corpos musculosos apresentados hoje como padrão de beleza para as mulheres também agridem a forma feminina conforme Deus a criou. Você sabia que a bulimia e a anorexia afetam quase exclusivamente mulheres jovens? Mas elas não são as únicas. Tenho visto mulheres de todas as idades escravizadas por esses padrões, a ponto de se matarem de fome para manter a imagem “ideal”. A propaganda, que vemos em toda a parte, procura forçar a grande maioria das mulheres a se encaixar num padrão que somente é natural para um pequeno número delas. Essa escravidão a padrões passageiros, segundo a Palavra de Deus, é insensatez. Ele, que não olha para a aparência, mas para o coração (1 Sam. 16:7), nos diz que a verdadeira beleza vem da harmonia entre a nossa aparência e aquilo que está no nosso coração. Se formos belas por dentro, seremos belas por fora, mesmo que nossos traços não sejam perfeitos ou nosso corpo não se encaixe no que é considerado o padrão atual de beleza.
Se o tempo e esforços que dedicamos ao cultivo da beleza física não forem comparáveis ao tempo e esforços que dedicamos à purificação e ao embelezamento do nosso coração, pela lavagem da Palavra que nos renova de dentro para fora, estaremos dando lugar à vaidade, o que também é insensatez. Temos, portanto, uma escolha: viver escravizadas ao padrão que o mundo aponta hoje como belo, ou viver livres pelo padrão estético de Deus para nós, aquele que resulta da harmonia entre um coração alegre, confiado em Deus, e a beleza que não envelhece, mas vai aumentando com o passar dos anos.

(Wanda de Assumpção)

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Deus falou comigo. Vai falar com você.(Leia)


Quando Deus te reanima!

"Somos confrontados com um Deus totalmente constante."

Sabemos que a vida humana é marcada pela inconstância do coração. Há dias em que somos tomados pela esperança e outros marcados pela melancolia da alma. Há dias de encorajamento e dias de inquietante desmotivação. Há dias de paz e dias de angústia. Dias de alegria e dias de amargura. Dias bons e dias maus.
Perante esta inconstância da vida somos confrontados com um Deus totalmente constante, estável, firme e inabalável.
A Bíblia nos apresenta Deus como o sol do meio dia, as inabaláveis montanhas de Sião, o forte cedro do Líbano e as altas muralhas de Jerusalém. C.S. Lewis nos lembra que o Senhor não se abala, e esta é a certeza que temos de que somos salvos.
Davi é um exemplo de inconstância humana como talvez nenhum outro personagem na Palavra. Foi guerreiro implacável e na força de Deus derrotou o gigante Filisteu. Por outro lado adulterou com Bate-Seba e traiu Urias, um de seus leais soldados. Reconstruiu Jerusalém que passou a ser chamada cidade de Davi. Mas também magoou seus filhos e foi um desastre como pai. Era temente ao Senhor e foi chamado homem segundo o coração de Deus. Entretanto, em sua família houve incesto, assassinato, mentiras e traição.
Talvez um dos momentos de maior melancolia e desespero tenha acontecido quando, voltando de uma batalha, exausto, encontra Ziclague, sua cidade, saqueada e destruída. E todas as mulheres e crianças levadas cativas. Seus homens, amargurados, falam em apedrejá-lo. E ali se encontra Davi, caído, sem consolo e esperança. Mas algo inesperado acontece, e este é o texto que tem sido usado por Deus muitas e muitas vezes para me reanimar: “E Davi se reanimou no Senhor seu Deus”.
Esta frase, encontrada no primeiro livro de Samuel, capítulo 30, verso 6, revela-nos uma das mais poderosas obras de Deus na vida de seus filhos. Levantar-nos quando tudo parece perdido. Abrir o caminho quando não sabemos para onde ir. Fazer romper o sol quando estamos presos na neblina da vida. Dar-nos perseverança quando a vontade é parar.
O que mais me intriga é que este reânimo veio absolutamente do Senhor, pois não havia ali elementos de esperança. Caiu destruído, levantou reanimado. A ansiedade humana é um dos aspectos mais corrosivos da alma. Há inúmeros irmãos e irmãs que, tomados pela ansiedade crônica, que não passa, pela insatisfação constante do coração, tornaram-se secos, perderam a brandura, não gargalham. Vivem sempre a espera que amanhã seja melhor, menos triste. Que algo novo aconteça.
Se olharmos para Davi naquele dia, ele estava acabado. Sem família, sem cidade, sem liderança, sem futuro. Mas a reação de Davi, mesmo que forjada por Deus, indicou uma atitude necessária para cada um de nós: Obediência. Ele se levantou!
Davi se reanimou em Deus. Levantou-se e perseguiu os Amalequitas, com alguns de seus homens. Tomou de volta as mulheres e crianças, e o despojo. Reconstruiu a cidade e habitou nela. Recuperou o respeito de seus homens com o brilho de quem um dia iria reinar sobre toda Israel.
E serviu a Deus. Pois se levantou quando Deus disse: levanta-te!